Trabalhador da Cobra Tecnologia não vai pagar pela crise

Imagem do Notícia

Ocorreu ontem (27), no Rio de Janeiro, a primeira reunião de negociação da Campanha Salarial 2015/2016 dos/as Trabalhadores/as da Cobra Tecnologia. Já na primeira mesa, a empresa demonstrou o seu descompromisso, desrespeito e desvalorização de quem é responsável pela eficiência e qualidade dos serviços que presta (o que tem garantido os bons resultados econômicos e financeiros). Propôs reajuste salarial muito abaixo da inflação do período (apenas 3%), abono de R$ 500 (parcela única), auxílio-refeição de R$ 650 a partir de 1º/10 e manutenção das demais cláusulas do Acordo Coletivo em vigência.

A proposta da empresa é inadmissível e mostra que a sua direção não  tem compromisso com os/as trabalhadores/as. Demonstra que a Cobra Tecnologia não acredita na união dos/as empregados/as, que é a única força capaz de barrar tal postura abusiva e desrespeitosa com quem de fato faz a empresa. Está muito claro, desde já, que só a mobilização e a luta nos garantirão reajustes salariais e um acordo coletivo que de fato retribua toda a dedicação e trabalho dispensados à Cobra Tecnologia. Só a união forçará a empresa a reconhecer a nossa importância e nos pagar aquilo que é honesto e justo.

Se já na primeira negociação, a empresa mostra a sua total falta de respeito pelo/a seu/sua trabalhador/a, está na hora de mostrarmos nossa total união e resiliência para lutar pelo que é nosso direito: reajustes com ganho real e benefícios condizentes com a qualidade e eficiência de nosso trabalho, esforço, perseverança e dedicação para fazer uma Cobra Tecnologia de ponta.

Esclarecimentos sobre a cobertura online da reunião

Ontem, durante a cobertura online da 1ª mesa, via redes sociais, a equipe da Fenadados ficou sem acesso à Internet e sem possibilidade de reestabelecer a conexão. Por isso, as postagens foram interrompidas.

#SomosCobraSomosForte

Fonte: Fenadados

Compartilhe esta Notícia